Refúgios de Praia no Nordeste


Há mais de um ano que essa ideia vem ganhando mais e mais eco entre os viajantes. Não só por ser um jeito seguro de conhecer novos destinos, mas também por criar um ambiente leve e inspirador para trabalhar remotamente. A ideia de “refúgio” ganhou novas conotações. Uma delas é esta: cantinhos perfeitos para sumir do mundo, com toda a estrutura e cercado da mais bela natureza.


Antes bem discreta no radar de poucos viajantes, há cerca de um ano esse tipo de hospedagem passou a despertar mais e mais curiosidade. Entre tantos aspectos negativos, a pandemia nos revelou que o Brasil é forrado de propriedades charmosas, encravadas em locais distantes de amolação, mas dotadas de uma super infraestrutura. Especialmente refúgios de praia.


VILA FULÔ: A apenas 180 metros da praia, a Villa Fulô é um marco do bem viver em Caraíva. A vila praiana do sul da Bahia consegue oferecer uma ótima estrutura em meio a uma natureza rica e a uma cultura poderosa. Um lugar onde o rio se encontra com o mar, com entardeceres deslumbrantes. “Luxo rústico” pode ser o jeito de definir o estilo arquitetônico regional e a decoração, que prioriza obras e peças de artesãos locais e de índios pataxó das aldeias vizinhas. Atendimento, conforto e a paixão pelos pequenos detalhes são a especialidade da Villa Fulô. Entre os mimos, roupa de cama de 300 fios, toalhas de algodão egípcio, amenities L’Occitane, máquinas Nespresso nos quartos como cortesia, piscina e spa.


CHÃO PIAUÍ: Já o Chão Piauí traduz no nome a autenticidade da experiência que oferece. A busca por uma vida simples e menos intensa aproximou os três casais à frente do projeto, que buscavam fugir do caos dos grandes centros urbanos. Há alguns anos encontraram seu lugar, mais precisamente em Cajueiro da Praia, no estreito litoral do Piauí. E ali enxergaram a oportunidade de viver em uma comunidade com tais valores. A proximidade com as atividades e valores locais mostram a importância da preservação da cultura ancestral, ainda presente no dia a dia do povoado de pescadores da Barrinha, nos arredores da Praia de Barra Grande. Uma iniciativa de impacto socioambiental complexo, e que consegue aliar conforto e imersão cultural. Os amplos quartos da Chão de Estar têm na sua arquitetura a influência local, com materiais nativos como a palha de carnaúba, taipa e madeira. Ou então a Casa Rio da Barra, construída com materiais reutilizados, em um terreno de 3.800 m2 com uma atmosfera de fazenda, com 4 suítes equipadas com ar-condicionado, wi-fi e serviço completo de cozinheira, arrumadeira e jardineiro.


POUSADA MANGABEIRAS: Para não entendedores das singularidades do litoral brasileiro, muitos pedaços de costa são quase idênticos. Mas ao chegar mais perto você percebe que alguns tem um charme que os torna únicos. É isso que a Pousada Mangabeiras, na ilha de Boipeba, consegue revelar rapidamente. Num trecho maravilhoso do litoral da Bahia, a cerca de 130 quilômetros ao sul de Salvador, faz jus ao status de refúgio de praia, numa propriedade de 48 mil m2 cercada de Mata Atlântica. Pequena e exclusiva, a pousada conta com 11 bangalôs e 1 Guest House, todos muito próximos ao mar. Nada como descobrir a região em passeios de caiaque ou stand-up paddle pelo mangue, inclusive à noite. Durante a maré baixa, vale a pena mergulhar com snorkel nas piscinas naturais mais lindas da região. De julho a setembro, é possível avistar baleias-jubarte nadando por lá.


“Refúgio: do latim refugium; lugar onde alguém pode se esconder ou ocultar alguma coisa; esconderijo. Aquilo que serve para amparar, proteger ou confortar; amparo.”


Gostaram?

Você pode se interessar por: