© 2017 by the lab design.

Japão, o país conhecido como a terra do sol nascente!

November 13, 2015

 

A nossa colaboradora Nini Belt esteve no Japão e conta aqui algumas das suas experiências nessa viagem maravilhosa! 

Fazer uma viagem para o Japão é muito mais fácil do que parece. Isso porque estamos falando de um pais absolutamente organizado e seguro, onde tudo funciona perfeitamente bem. Então se você pensa em conhecer o Japão, faça as suas malas o quanto antes!

 

Roteiro

 

A primeira coisa que deve ser considerada: quantas cidades quer conhecer e por quanto tempo. Isso porque, caso queira viajar bastante, o ideal é comprar o JR Pass, que é vendido apenas fora do Japão. (Lembrando que o transporte no Japão é bastante caro e adquirir esse passe pode ser um ótimo negocio, como foi pra mim). 

 

A linha JR Pass cobre grande parte do pais, além de funcionar dentro das cidades! Raramente funcionam com ônibus, mas pode acontecer, basta se informar no local. 

 

Tokyo

 

Tokyo foi minha primeira parada. É uma cidade vibrante, uma das mais dinâmicas capitais que existe! Embora seja uma cidade grande, há muita coisa para conhecer, lugares para visitar e passeios para fazer. Fiquei apenas 5 dias mas foram poucos, porém, da pra ter um gostinho de tudo o que a cidade tem para oferecer.

 

 

 

Fiquei hospedada em Shinjuku e adorei a localização. Menos de 10 minutos da estação JR e rodeada de comercio e restaurantes (se hospedar perto das estações é um ponto fortissímo!) O bairro leva sua vida em torno dos estabelecimentos, butiques e centros de entretenimento imensos, sempre de ritmo acelerado e iluminação caprichada. Durante o dia, não falta energia. Mas é à noite que a coisa ferve de verdade, com boates animadíssimas e drinques noite a fora. 

 

Asakusa: bairro gostoso, com barraquinhas de comida, souvenirs e o Templo de Asakusa (Sensoji Temple). Entre no clima e tire sua sorte. Pagando 100 ienes (julho 2016) você faz o ritual japonês de chacoalhar, tirar o pauzinho, abrir a gaveta com o número referido e ver o que esta escrito. Se for bom, guarde, se não for, amarre seu papel em um dos diversos espaços reservados para isso. Embora seja bastante fácil de chegar, utiliza-se a linha de metro e não a JR.

 

 

 

Akihabara: paraíso de eletroeletronicos (embora eu tenha visto muita coisa mais barata nos US! – vale pesquisar antes de se deslumbrar com tanta opção!). Vale a pena explorar a área, é cheia de lojas de bacanas. 

 

Shibuya: outro bairro muito procurado pelos turistas, onde se encontra o cruzamento mais movimentado da cidade e a estatua do fiel cão Hachikō, que esperava seu dono no mesmo lugar durante anos, mesmo após sua morte. Em Shibuya também tem uma loja da Disney, onde é possível comprar o ingresso para o parque. Paguei 7400 ienes e não me arrependi!

 

Para quem quiser ver a cidade do alto, os passeios legais para se fazer são: Tokyo Tower ou Tokyo Skytree. Não é necessário fazer as duas, mas acabei fazendo por curiosidade mesmo. Vale ir no fim de tarde, pois assim da para ver a cidade de dia e com as luzes da noite! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Seguindo meu roteiro, fui para Monte Fuji! Considere uma parada obrigatória na viagem! Uma das cidades base para a escalada é Kawaguchiko – região dos lagos. Monte Fuji: chega-se ate a quinta base com ônibus (1h saindo de kawaguchiko). A partir dali, somente a pé. Até o oitavo estagio é possível encontrar HUTS, que são lugares para dormir (paga-se uma taxa).

 

 


Foi uma experiência realmente marcante pois decidi subir de última hora e passei a madrugada toda subindo, no frio e no breu! Durante a trilha é possível ver o sol nascer foi um presente divino depois de tanto sacrifício! 

 

 

 

 

 

Shirakawa-Go: aldeia japônesa famosa pelas suas habitações tradicionais. Fiz um day trip saindo de Kanazawa (1h15 de ônibus). PS: em Kanazawa existem ônibus que atendem a JR Pass! Eles são azuis e vem com as iniciais JR do lado de fora.

Me hospedei no Ryokan Murataya, na cidade de Kanazawa. Super indico esse lugar. Muito aconchegante e centralizado!

 

Jardim de Shirakawa-Go

 

 

 

 

 

 

De Kanazawa segui com o trem bala para Osaka, cidade também bastante visitada pelos turistas. Osaka também é cortada pelas linhas da JR Pass. É uma cidade bastante dinâmica e tem a Universal Studio.

 

Próxima parada- Kyoto: É uma cidade que pode tanto ser visitada saindo de Osaka (meia hora de trem) ou servir como base para outras cidades ao redor. Eu, particularmente, optei por me hospedar em Kyoto pois há muitas coisas para fazer e acho que apenas 1 dia é realmente muito pouco.

 

 

Um dos passeios mais procurados é o Fushimi Inari-taisha, que é o túnel formado vários "toriis" enfileirados, que são portais de madeira que indicam a entrada dos templos e causam um efeito incrível. Esse santuário fica na base de uma montanha e tem trilhas para santuários menores. O caminho se estende por 4 km e demora cerca de 2 horas para subir a a pé até o topo da montanha Inari. 

 

Fushimi Inari-Taisha 

 

 

 

Outros passeio bastante procurado é o Arashiyama, bairro antigo e tradicional, um tanto quanto rural e com uma natureza marcante. Parece um vilarejo do interior de tão tranquilo que é o local. Lá é onde fica o Sagano Bamboo, um bosque de bambu considerado um dos atrativos naturais mais incríveis do Japão.  

 

Sagano Bamboo

 

 

 

 

 

Dica Travel Hunter: Se quiser pegar o Sagano Bamboo vazio, acorde bem cedo e aproveite essa floresta só pra você. 

 

Templo Tenryu-ji- Fica ao lado da floresta Sagano bamboo, o templo é bastante procurado em Kyoto e conta com um jardim belíssimo.  

 

O Kinkaku-ji é um templo zen budista, rodeado pelo Kyoko-chi (lago espelhado) e por um belo jardim. Sua estrutura é fascinante pelo fato de ser praticamente todo coberto de folhas de ouro puro. 

 

 

 

Fiz uma day trip de Kyoto para Nara e adorei. O que mais me arrepiou foi ver a maior estátua de Buda em Bronze que esta em Nara! Passeio gostoso e contato com os veadinhos que vivem soltos por ali.

 

Hiroshima: o maior atrativo da cidade acaba sendo o Memorial da Paz. Como estava ali, resolvi conhecer também a Ilha de Miyajima, que fica mais ou menos 40 minutos do centro de Hiroshima e é possível usar o JR Pass na balsa =)

 

O Castelo de Hiroshima também é chamado de Rijo ou castelo das das carpas. Os arredores do castelo serve como um parque público e o seu interior se transformou em um rico e belo museu. No topo do castelo tem um observatório onde pode ver tudo que há em torno da cidade, como a baía de Hiroshima e a ilha de Miyajima, é uma das mais belas visões que você pode ter em Hiroshima, vale a pena subir até lá!

 

Catelo de Hiroshima 

 

 

Dicas de hospedagem: As hospedagens no Japão não são baratas, mas vale muito a pena economizar um pouco e se hospedar em um Ryokan! Sao acomodações tipicamente japonesas e no meu caso, complementou a experiência que busquei com essa viagem. Você pode escolher acomodação sem café e pagar um café típico japonês, com arroz e tudo o que tem direito!

 

Detalhes de Kawaguchi-ko 

 

 

 

 

Gostaram do roteiro da Nini? Esperamos que sim! Quer ir para o Japão? Escreva para a gente!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Novos hotéis na próxima temporada de esqui!

October 24, 2019

Jungle Lodges na Amazônia

September 10, 2019

1/10
Please reload

Você pode se interessar por: